Volta de aranhas

Que não se limpe o teto
Quero as aranhas por perto
Que não se expulse suas teias
Quero as aranhas galgando minhas veias
Que elas se cumpram no canto dos olhos
Que se alojem nas cabeças e corpos
Que circulem nas quinas de ângulo reto
Que teçam enredos com nossos dejetos
Quero suas patas ainda me aranhando
Emaranhando arteiras voltando de férias

Até parasitarem em minhas artérias.

Sandra N. Flanzer, inédito

Email

Comentário sobre “Volta de aranhas

  1. querida, que bom que decidiu criar esse site/blog. É a coisa do futuro, não tenha duvida.Assim as pessoas te conhecem e você fica menos isolada.Você te FB? parabens, vamos arranhando a aranha que arranja a jarra.Gostei dos poemas, bjs

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>